Encarnações da saudade: tempo, rupturas e permanência ao rés dos corpos

Autores

Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Júnior

Ementa

Um dos grandes desafios do historiador é justamente narrar o passado. Essa habilidade é privilégio de poucos. 

 As reflexões produzidas pelo professor Durval Muniz de Alburquerque denunciam que essa habilidade, em suas mãos, se converte em um verdadeiro dom: sua narrativa é redonda, prazerosa, potente.

Roland Barthes alertava que “ler é ser movido a levantar os olhos do texto”. E a escrita de Durval Muniz faz parte da literatura com a qual nos encontramos surpreendidos com o olhar levantado, como que a rasgar o horizonte e tentar criar novos repertórios de vida.

A importância fundamental do pensamento de Durval Muniz de Albuquerque Jr. não passa apenas pelo papel de “reinventor” da maneira de pensar a região Nordeste. Vai além. É uma referência incontornável para pensarmos sobre os processos objetivos, subjetivos, materiais e simbólicos envolvidos na escrita e na produção do saber histórico.

Durval Muniz de Albuquerque Júnior é doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), além de colaborador da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Publicou diversos livros, como o clássico A invenção do Nordeste e outras artesHistória, a arte de inventar o passadoPreconceito contra a origem geográfica e de lugar - As fronteiras da discórdia; Nos destinos de fronteira: história, espaços e identidade regional.

Sua experiência na área de História recai no campo da Teoria e Filosofia da História, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, nordeste, masculinidade, identidade, cultura, biografia histórica e produção de subjetividade. 


Apoios

UFMG
Fafich
Temporalidades
PPGHIS
Varia História
CEPAMM
Núcleo História Oral
CEM
Sem Rumo
Brasiliana
Iepha