ST 23 - Cultura Intelectual Brasileira

Autores

Hugo Mateus Gonçalves Rocha

Mestrando

UFMG

hugogrocha@hotmail.com

Cléber Araújo Cabral

Doutor em Estudos Literários (Pós-Lit/UFMG)

Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

clabrac1980@gmail.com

Mariana de Moraes Silveira

Doutoranda

Universidade Federal de Minas Gerais / Universidade de São Paulo

marianamsilveira@gmail.com

Thiago Lenine Tito Tolentino

Doutor em História (UFMG)

Aluno PNPD (UFS)

thiago_lenine@yahoo.com.br

Ementa

Presente desde a primeira edição do EPHIS, o Simpósio Cultura Intelectual Brasileira vem, através dos anos, ampliando seu leque de pesquisas, reflexões e projetos historiográficos. Propomo-nos a acolher trabalhos que, a partir de pontos de vista variados, tracem análises sobre a história intelectual do país. Interessamo-nos, em especial, pelas abordagens que permitam colocar em diálogo a história cultural e a história política, trazendo à tona as implicações políticas de projetos culturais, bem como os múltiplos usos da cultura em favor de projetos políticos. Sempre com uma perspectiva aberta e heterogênea, apenas ocultada pela generalidade da noção, o conceito de cultura intelectual opera na abordagem transversal de diversas temáticas que compõem o mundo da produção, recepção e apropriação dos mais diversos bens simbólicos, assim como da análise de trajetórias, redes de sociabilidade, arranjos institucionais, conformação de sensibilidades coletivas e afirmação de campos, climas e cenários culturais. Consideramos ser possível construir uma espécie de espectro em que essas manifestações intelectuais da elaboração da vivência coletiva, tanto no registro cotidiano (crônicas, charges, canções, história em quadrinhos, cinema etc.), quanto na abordagem de produções integradas às tradições (como literatura, filosofia, sociologia, política, direito, partidos políticos etc.), apresentem-se em constante dinâmica de trocas, conflitos e distinções. Dessa forma, o quadro temático que compõe a cultura intelectual brasileira é bastante vasto e complexo. Também suas fronteiras poderão assumir uma característica fluida, uma vez que aspectos importantes de tal noção residem em suas relações com produções, personagens, instituições e trânsitos internacionais. Representações sobre as Américas, a África e a Europa, assim como trabalhos e projetos de intercâmbio intelectual, artístico e político, formam importantes eixos da cultura intelectual brasileira. Dessa forma, é com felicidade que este ST chega ao 6º ano consecutivo, reafirmando seu compromisso com a formação de uma perspectiva eminentemente historiográfica no tratamento da dinâmica das vivências passadas a partir das reflexões acerca da cultura intelectual.


Programação das mesas

Mesa 1 - Sala 3054 8 de Maio de 2017 as 13:00 até 15:00
Autores Titulo
Hugo Mateus Gonçalves Rocha
Ensaio, Ciência e História em “Os Parceiros do Rio Bonito"
Thiago Lenine Tito Tolentino
Moda, publicidade e gênero na cultura intelectual brasileira da década de 1920
Cairo de Souza Barbosa
O passado latino-americano como redenção: tempo e dialética em Antonio Candido
Mesa 2 - Sala 3054 8 de Maio de 2017 as 15:00 até 17:30
Autores Titulo
Raul Amaro de Oliveira Lanari
O Estado Novo e a afirmação de uma "cultura do território": Teixeira de Freitas, Cassiano Ricardo e Nelson Werneck Sodré
Helaine Nolasco Queiroz
As crônicas verdeamarelas do modernismo brasileiro
Rhaiane das Graças Mendonça Leal
O projeto de identidade nacional nos contos lobatianos
Mesa 3 - Sala 3054 9 de Maio de 2017 as 14:00 até 16:30
Autores Titulo
Mariana de Moraes Silveira
Do Rio de Janeiro a Buenos Aires, via Washington: percursos dos intercâmbios entre juristas brasileiros e argentinos (1917-1943)
LUIZ MAURO DO CARMO PASSOS
Niemeyer em Nova York, 1938: circulação e transformação na cultura visual moderna.
Maro Lara Martins
Sobre interpretações do Brasil: forma, conteúdo, dualidades
Beatriz Marinho de Melo
A República letrada á brasileira
Mesa 4 - Sala 3054 9 de Maio de 2017 as 16:30 até 18:00
Autores Titulo
Karla Simone Willemann Schütz
Transitando entre-lugares: Carlos Humberto Pederneiras Corrêa, suas sociabilidades e a historiografia catarinense (1963-2010).
Patrícia Helena Gomes da Silva
Um soldado do ofício: considerações iniciais em torno da trajetória intelectual de Eurípedes Simões de Paula entre os anos 1940 e 1960
Gabriel Felipe Oliveira de Mello
Os intelectuais isebianos em busca da superação do subdesenvolvimento no Brasil (1955-1964)
Mesa 5 - Sala 3054 10 de Maio de 2017 as 13:00 até 15:30
Autores Titulo
Douglas Carvalho Ribeiro
A influência do antiliberalismo schmittiano na construção de Raízes do Brasil
Stéfany Sidô Ventura
Povo mestiço: pensando a conformação do léxico
Carolina de Oliveira Silva Othero
O conceito de tradição na história nacional de Manoel Bomfim
Renan Siqueira Moraes
Travessias intelectuais. Nina Rodrigues e as ideias racialistas em movimento
Mesa 6 - Sala 3054 10 de Maio de 2017 as 15:30 até 17:30
Autores Titulo
Luiz Octavio Gracini Ancona
A recepção dos filmes e das ideias de Jean-Luc Godard na cultura brasileira (década de 1960):
julia neves toledo
Reverberações Lusotropicais - A viagem de Gilberto Freyre Entre o Salazarismo Português e a intelectualidade Caboverdiana (1951-1952)
Pedro Henrique Trindade Kalil Auad
Ideologia do Teatro Brasileiro: percursos de uma história
Priscila Sacchettin
Jorge de Lima e Henri Michaux: um diálogo entre fotomontagem e poesia
Mesa 7 - Sala 3054 11 de Maio de 2017 as 14:00 até 16:00
Autores Titulo
kaian luca perce eugênio
Romantismo Brasileiro (1852-1865): o conceito de natureza na construção da Identidade Nacional.
Stefania Macena Wolff
A imagem da mulher e a construção da nação através das páginas d'O Ano Biográfico Brasileiro
Bruna Schulte Moura
Minerva Brasiliense: limites conceituais de história e literatura nas páginas do periódico.
Mesa 8 - Sala 3054 11 de Maio de 2017 as 16:00 até 18:00
Autores Titulo
Júlia Canella da Silva
Jorgeana Roberta Alcântara Teixeira
CASO OLGA BENARIO: IDEALISMO, AMOR E TRAGÉDIA
George Leonardo Seabra Coelho
Configurações da intelectualidade brasileira: autoritarismo e modernismo na década de 1930-1940
Henrique Brener Vertchenko
A Associação dos Artistas Brasileiros (AAB): ações e utopias no cenário cultural carioca da década de 1930

Apoios

UFMG
Fafich
Temporalidades
PPGHIS
Varia História
CEPAMM
Núcleo História Oral
CEM
Sem Rumo
Brasiliana
Iepha