ST 14 - O oitocentos de crise a crise: dinâmicas culturais, sociais, econômicas e políticas no Brasil (1808-1889)

Autores

Lucas Samuel Quadros

Doutorando em História

Universidade Federal de Ouro Preto

lucassquadros@yahoo.com.br

Ana Tereza Landolfi Toledo

Mestre

Universidad de Salamanca

landolfiat@gmail.com

Adriano Soares Rodrigues

Graduado em História - Mestrando em História

Universidade Federal de Viçosa

adrianosrodrigues88@gmail.com

Wélington Rodrigues e Silva

Especialista em Gênero e Diversidade na Escola - Mestrando em História

Universidade Federal de Minas Gerais

wrsdivmg@hotmail.com

Ementa

O presente simpósio temático objetiva promover debates sobre trabalhos que se debruçam no entendimento do século XIX no Brasil, tendo como marco temporal o período que estende a crise do sistema colonial à crise do Estado monárquico brasileiro, bem como a crise do sistema escravista (1808 – 1889).
Compreendendo o século XIX como um período de grandes transformações para o Brasil, observa-se o notável o crescimento da produção historiográfica sobre o período, tendo em destaque, os temas da crise do absolutismo monárquico na América, a transição da Colônia para o Império,o traslado da família real portuguesa à Colônia, a formação multifacetada da nação, assim como a as formas de administração e autonomias locais, a independência do Brasil, as rebeliões regenciais, o código comercial de 1850, processos políticos e sociais que culminaram na abolição da escravidão e na proclamação da República.

Em suma, trata-se de um período permeado de mudanças sociais, políticas, econômicas e culturais, que tem sido amplamente revisitado pela historiografia atual. Desta maneira, objetiva-se aqui, reunir trabalhos que tratem das seguintes temáticas: a)organização social do trabalho e reorientações econômicas: envolvendo escravidão, abolição, trabalho livre e imigração; b)disputas políticas: fim do sistema colonial e império luso-brasileiro, republicanismo, democracia, atuações administrativas regionais e entre as nações; c)cultura letrada: pensamento ilustrado, ideologização do progresso, academias de ciências e instrução escolar; d)cultura popular e sociabilidades: festividades, religiosidades e vida privada. Tratando-se de um espaço de trocas de experiência acadêmica com diferentes propostas e objetos de pesquisa, agregados pelo fio condutor do estudo do século XIX no Brasil, acredita-se que o Simpósio Temático “O oitocentos de crise a crise: dinâmicas culturais, sociais, econômicas e políticas no Brasil (1808-1889)” contribuirá de forma positiva para dar novas perspectivas as pesquisas acerca do oitocentos no Brasil. Assim sendo, a principal finalidade deste simpósio é promover o debate acerca do contexto, buscando intercambiar conhecimentos e reexames da produção historiográfica sobre o século XIX nos últimos anos.


Programação das mesas

Mesa 1 - Sala 3016 10 de Maio de 2017 as 14:00 até 16:00
Autores Titulo
Érida Grace Coelho Cardoso
Moda e escravidão: resgate de identidade e resistência.
Érika Caroline Damasceno Costa
Mateus Andrade
“A liberdade não precisa de crimes para triumphar”: elites regionais e a abolição da escravidão no Império do Brasil (1860 – 1889)
Adriano Soares Rodrigues
Fugas de escravos: quebra e reconstrução de laços familiares e afetivos (1871-1888)
Ana Paula Dutra Bôscaro
Escravos vindos do Atlântico: o tráfico negreiro praticado na Serra da Mantiqueira na primeira metade do século XIX.
Ulisses Henrique Tizoco
Produção e circulação nas Minas Oitocentistas: o mercado de escravos da Cidade do Bonfim do Paraopeba após 1860 e suas conexões
Mesa 2 - Sala 3016 10 de Maio de 2017 as 16:00 até 18:00
Autores Titulo
Jussara Rodrigues da Silva
A reforma dos costumes pela história: o projeto político e historiográfico de Francisco Lisboa no Jornal de Timon
Adriene Santanna
Miguel do Sacramento Lopes Gama (1791-1852) e o jornal O Carapuceiro: o debate educativo na imprensa pernambucana oitocentista
Wélington Rodrigues e Silva
Imprensa Antirracista e Linguagem racializada na corte regencial brasileira
Nelson Ferreira Marques Júnior
As mudanças da imprensa e os jornais áulicos da corte fluminense (1823-31)
Mesa 3 - Sala 3004 11 de Maio de 2017 as 13:00 até 15:30
Autores Titulo
Sheila Lopes Leal Gonçalves
Rabiscos no papel e na tela: imagens políticas em obras de Pedro Américo e Araújo Porto Alegre.
Thiago Sobreira Vailati Silva
A estética fotográfica do Brasil Imperial: A Construção da imagem de uma nação moderna.
Leonardo Campos Gomes
Vitória dos Santos Acerbi
Entre o chocalho e o chicote: representações dos carregadores de café no Brasil oitocentista
Álvaro Saluan da Cunha
A Rendição de Uruguaiana, de Pedro Américo, e as litografias na Guerra do Paraguai
Mesa 4 - Sala 3004 11 de Maio de 2017 as 15:30 até 17:30
Autores Titulo
Rosenilson da Silva Santos
CONSOLIDANDO AS FRONTEIRAS DO IMPÉRIO DO BRASIL: AS DISPUTAS FRONTEIRIÇAS ENTRE AS PROVÍNCIAS DA PARAÍBA E DO RIO GRANDE DO NORTE E A FORMAÇÃO DO ESTADO NACIONAL (1831 - 1845)
Kelly Eleutério Machado Oliveira
A consolidação do poder provincial e a primeira legislatura da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, 1835-1837
Pâmela Campos Ferreira
Entre Representações e Requerimentos: O poder político provincial de Minas Gerais e a construção dos cemitérios extramuros
Juliano Tiago Viana de Paula
Tecendo distintas redes de compadrio: o parentesco de Rita Guine, Francisca Crioula e Leonarda Parda - escravas do Barão de Alfenas. (São Tomé das Letras, século XIX.)
Mesa 5 - Sala 3004 12 de Maio de 2017 as 13:00 até 15:30
Autores Titulo
LUCAS NETO TEIXEIRA
O pensamento federalista na Geração de 1870: questões temporais ao projeto republicano.
Carla de Oliveira Navarro
A História vista de baixo: Uma breve análise da sociedade Fluminense no século XIX
Laiane Fraga da Silva
Os Faria Fraga e atividade pecuarista no alto sertão da Bahia (Caetité 1888-1889)
Amanda de Paula Birindiba Araújo
Rui Barbosa e o discurso político sobre a educação feminina no Segundo Reinado
Mesa 6 - Sala 3004 12 de Maio de 2017 as 15:30 até 17:30
Autores Titulo
Andreia de Freitas Rodrigues
Passagem de Humaitá: escura, incerta, confusa, terrível e absolutamente sublime
Zora Zanuzo
O cotidiano do Rio de Janeiro no Oitocentos – uma perspectiva à luz da obra de Luiz Carlos Martins Pena (1815-1848)
Evaristo Caixeta Pimenta
A sacralidade delegada: preceitos legitimadores da ordem monárquica encerrados nas práticas eleitorais do Império do Brasil
Luiza de Oliveira Botelho
Os grilhões da prosperidade da nação: Escravidão e Nação em Meditação (1850)

Apoios

UFMG
Fafich
Temporalidades
PPGHIS
Varia História
CEPAMM
Núcleo História Oral
CEM
Sem Rumo
Brasiliana
Iepha